sexta-feira, 7 de setembro de 2018

AGORA JÁ PODE SER TARDE DEMAIS ! ( Crônica do Professor Cláudio Silva)


AGORA  JÁ PODE SER TARDE DEMAIS !
       *Por Cláudio Silva
O amigo ama em todos os momentos; é um irmão na adversidade“ (Prov.17,17)

Nos últimos trinta dias você visitou ou recebeu a visita de algum amigo, simplesmente por ser seu amigo ? Aqui pode estar sendo aceso o sinal vermelho, que o coloca no grupo dos que, como eu,  estamos correndo o risco de  chegar ao fim dos nossos dias sozinhos, por não termos construído relações duradouras ! “Se um cair, o amigo pode ajuda-lo a levantar-se. Mas pobre do homem que cai e não tem quem o ajude a levantar-se!” ( Eclesiastes 4,9-10)

Um amigo me relatava que estava preocupado com o sogro, viúvo, que está ficando cada dia mais triste e depressivo. Já não pode trabalhar por conta da idade e passa os dias sentado em uma cadeira na calçada de casa. Reclama que não tem com quem conversar e que ninguém vai visitá-lo. Por conta do temperamento difícil não construiu relações sólidas nem mesmo com  os mais próximos, esposa e filhos, e muito menos com  parentes e conhecidos.

Sem  perceber foi se distanciando justamente de quem mais deveria ter se aproximado, e agora  percebe que essas eram as relações que mais deveria ter cultivado com zelo e carinho. Hoje, uma lágrima rola  silenciosa ao constatar o quanto viveu enganado, radical em sua forma de ser. Não se preocupava em ofender quem quer que fosse com os seus posicionamentos sempre “do contra” e polêmicos, e repetia com a boca cheia, “quem quiser que me aceite ”, “os incomodados que se mudem”, “vão ter que me engolir” e expressões do gênero. O que os outros pensavam não o interessava, aliás, para ele todos estavam errados. 

Ao se isolar “no seu canto”, para curtir com sossego as suas coisas, achava que estava garantindo um direito exclusivo conquistado por merecimento. Filhos e esposa  incomodavam, e de parentes queria distância. O tempo foi passando , e sem perceber, foi matando a própria vida aos poucos, dia após dia. Como se arrepende, hoje confessa! Principalmente, ao também constatar que quando teve pessoas ao seu lado, principalmente em situações de trabalho ou diversões, esteve cercado de gente que ali estava movida por outros interesses. E que naturalmente, com o tempo foi se  afastando.  “Quem se isola procurará seu próprio desejo egoísta e se irritará contra tudo o que é razoável” ( Prov. 18,1)

Terminar os seus dias no ostracismo deve ser uma experiência muito triste, depois de uma vida de lutas, mas que se descuidou do essencial. Ouvi certa vez de alguém que numa capela mortuária, eram tão poucas as pessoas que velavam determinada pessoa, que foi necessário pedir voluntários no velório do vizinho para ajudar a carregar o caixão!

Atualmente, mesmo com as possibilidades de comunicação instantânea entre as pessoas pelas vias digitais, algumas optam pelo que poderia ser denominado de isolamento digital. Em tempos de depressão , determinados casos não configuram tentativa de fuga, ou uma forma de “suicídio digital”? Com a palavra os psicólogos. Porque ao optar pela distância e isolamento, é como se decidissem “deixar de existir” neste universo de conexões. Não poderia já estar sendo um sintoma capaz de deflagar algo bem mais grave? Pensemos.  Não se pode deixar de pesar os excessos  no trato com as mídias sociais, com os quais nos deparamos quase que diariamente, pelo Face, Whatsapp e Instagram, para citar. Mas a auto exclusão radical também merece ser analisada num contexto bem mais amplo. 

Para assinalar a importância do tema, decidimos fechar esta reflexão com a, ao nosso ver, mais famosa declaração de amizade já feita ao gênero humano:  “Já não os chamo servos, porque o servo não sabe o que o Senhor  faz. Em vez disso, eu os chamo de amigos, porque tudo o que ouvi de meu Pai eu tornei conhecido a vocês”.( Jo 15,15)

Pense nisso.
                                                                                     06 de setembro de 2018

*Cláudio Silva é mestre em Educação, ex- Secretário de Educação de Apucarana-PR e ex- presidente da União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação-UNDIME/PR. Diretor da Escola Nossa Senhora da Alegria.    (mais textos do professor poderão ser acessados no Blog  Prof. Cláudio Silva )

Ficha Técnica: Estrutura: Jornalista Cláudia Alenkire Gonçalves da Silva – MTE 000 9817 /PR Revisão:  Psicóloga Me Cláudia Yaísa Gonçalves da Silva - CRP 06/11120 e Bacharel em Direito Cláudia Layla Gonçalves da Silva

sexta-feira, 24 de agosto de 2018

É PRECISO TER CUIDADO PRA MAIS TARDE NÃO SOFRER! ( Crônica do Professor Cláudio Silva)


*“É PRECISO TER CUIDADO PRA MAIS TARDE NÃO SOFRER!”
       **Por Cláudio Silva

No temor do Senhor está a sabedoria, e evitar o mal é ter entendimento“                           (Jó 28,28)
Fui convidado certa vez para proferir uma palestra numa cidadezinha na fronteira com a Argentina, para educadores de municípios da região. Esses encontros são sempre  marcantes e deixam muitas lembranças. Uma das reflexões preparada para aquela oportunidade me inquieta até hoje.

Para estruturar a abordagem do assunto que eu iria desenvolver, fui pesquisar no site do IBGE os dados oficiais sobre a expectativa de vida do nosso povo. As pesquisas indicavam que o brasileiro vive em média 75,8 anos. Organizei um gráfico em formato de pizza, que foi dividida em quatro fatias de 18,9 anos. Levei o maior susto, ao constatar que de acordo com os dados estatísticos, eu já estou saboreando a última fatia da minha pizza! Gente, que sensação desconfortável! Possivelmente você amigo leitor esteja aí rindo imaginando a cara que fiz! A reflexão, inicialmente pensada para as pessoas que eu iria encontrar, tornou-se uma carapuça que fui obrigado a vestir.

As ponderações que me fiz naquela oportunidade, vez por outra retornam, principalmente quando sou surpreendido por fatos, como recentemente a perda abrupta de um colega dos tempos de escola. Uma pessoa inteligente, bom profissional, vivendo e trabalhando normalmente. Estava aparentemente bem até sentir uma pequena indisposição,  o que o levou a buscar ajuda médica, seguindo-se um internamento e em poucos dias foi a óbito, surpreendendo a todos que o conheciam.

Em circunstâncias assim somos levados a questionar e rever nossas prioridades. O que realmente importa na vida? Uma coisa é certa, a nossa existência, por mais que se prolongue, é efêmera. E assim as várias etapas ou ciclos. Nossos filhos, num momento são crianças, mas rapidamente crescem, se tornam adultos e seguem os seus caminhos.  Colegas de trabalho, amigos, familiares, pessoas queridas, hoje estão conosco e amanhã não mais. Uma coisa é certa, tudo passa e nós também passamos. Diz o livro sagrado sobre a existência do ser humano: “É como flor que se abre vigorosa, mas logo murcha, seca e vai-se como a sombra que passa, não dura muito tempo.”( Jó 14,2).

Daí a importância, primeiramente, de rever a qualidade das nossas relações humanas e a intensidade das coisas que fazemos. Certa vez passei o dia de finados na minha cidade de origem, e pude descrever para as minhas filhas quem foram algumas pessoas cujos nomes estavam gravados em lápides, gente que conheci no começo da minha vida.  Alguns se encaixavam no perfil “nariz empinado”, que quando estiveram por cima não se misturavam com os reles mortais, se julgavam superiores, discriminavam. Outros serviram-se de sua posição para auferir vantagens indevidas, pisar, ofender, oprimir. Lá estavam também  os que, para conseguir seus intentos, mentiram, traíram, enganaram, trapacearam. Soube de alguns que tiveram finais melancólicos, terminando os seus dias na penúria e praticamente sozinhos. “Lembra-te que és pó, e ao pó hás de voltar”(Gn 3,19)

Essas reflexões nos levam também a rever o cuidado que estamos tendo com dimensões essenciais da vida. São elas a dimensão familiar, pessoal, profissional, social e espiritual. Cuidar de cada uma delas se assemelha ao cultivo de uma planta. Se cada uma receber de nós os cuidados e a atenção necessária, no tempo certo nos brindará com flores e frutos, do contrário, poderá definhar. Realmente, como dizia a canção, “é preciso saber viver ”.
Pense nisso.
                                                                                                23 de agosto de 2018

*Frase da canção “É preciso saber viver” ( Roberto e Erasmo Carlos)
**Cláudio Silva é mestre em Educação, ex- Secretário de Educação de Apucarana-PR e ex- presidente da União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação-UNDIME/PR. Diretor da Escola Nossa Senhora da Alegria.    (mais textos do professor poderão ser acessados no site www.profclaudiosilvaeducacional.com )

Ficha Técnica: Estrutura: Jornalista Cláudia Alenkire Gonçalves da Silva – MTE 000 9817 /PR Revisão:  Psicóloga Me Cláudia Yaísa Gonçalves da Silva - CRP 06/11120 e Bacharel em Direito Cláudia Layla Gonçalves da Silva

quinta-feira, 16 de agosto de 2018

FAMÍLIA, UMA HISTÓRIA DE VIDA ! (Crônica do Professor Cláudio Silva )


FAMÍLIA, UMA HISTÓRIA DE VIDA!
                                     *Por Cláudio Silva
“ Ouça, meu filho, a instrução de seu pai e não despreze o ensino de sua mãe. Eles serão um enfeite para a sua cabeça , um adorno para o seu pescoço ” (Prov. 1, 8-9) 

Está acontecendo neste mês de agosto a Semana Nacional da Família, um período forte voltado à reflexão sobre o papel dessa instituição fundamental na vida de todos nós. Ressalto  aqui o sentido forte da palavra fundamento, que remete ao significado de alicerce, quesito essencial para uma construção. A vida humana é construída sobre este fundamento que se chama família. Você leitor, herdou as fortes marcas de sua família, as quais foram e continuam sendo essenciais para o que hoje é.

Quando abraço o meu amado pai, José, no alto dos seus oitenta e seis anos, me uno também com grande saudade à minha querida mãe, Hilda, in memorian. O sentimento, sempre, é de profunda gratidão aos dois pela forma sábia com que me educaram e aos meus irmãos. Os dois foram literalmente os nossos primeiros professores e evangelizadores. Vivenciaram profundamente a promessa contida na Palavra de Deus que repetiram tantas vezes para nós, “Crê no Senhor Jesus e serás salvo, tu e tua família” ( At 16,31), acreditando que ao nos prepararem estavam nos “salvando” de perigos futuros que com certeza encontraríamos pela vida. Hoje, olhando para trás e lembrando de pessoas que conheci e que literalmente se perderam, agradeço profundamente aos dois pela sua dedicação paciente à nós.

Numa época em que ainda não havia pré escola, o meu pai, pessoalmente,  alfabetizou os cinco filhos em casa, com um livrinho chamado Cartilha do ABC, título que eu e meus irmãos jamais esqueceremos, pelo fascínio que aquelas letrinhas nos causavam. E o fazia  sempre com muita paciência e amor. Este é um detalhe que faço questão de destacar, ao me recordar de pais reclamando pelo tempo envolvido no acompanhamento e orientação de tarefas do filho. Pai, mãe, aqueles instantes de convivência estão preparando o seu filho para a vida, e o amor envolvido nesta relação é fundamental para o seu desenvolvimento cognitivo e o marcará para sempre!

Já antes de migrar para a cidade, ainda morando na roça e semianalfabeto, papai percebeu a importância dos estudos. Procurou orientar-se com um senhor chamado Ildefonso, um poceiro e autodidata, com  o qual se encontrava aos domingos para estudar. Através das orientações desse senhor adquiriu alguns livros de gramática, matemática e história, e também a Bíblia, nos quais sorveu os conhecimentos que foram essenciais para a sua vida.   Foi também papai que nos ensinou as quatro operações matemáticas básicas, somar, subtrair, dividir e multiplicar. Um fenômeno para quem nunca teve o prazer de se sentar em um banco escolar, seu grande sonho que não conseguiu realizar mas que direcionou aos filhos.

E  juntamente com esses conhecimentos os dois igualmente se dedicaram à nos ensinar os valores importantes para as nossas vidas. Valores religiosos, éticos e morais, que  muito mais do que com suas palavras  aprendíamos com as suas vidas, porque sempre foram  os maiores e melhores exemplos daquilo que nos ensinavam. A vida de comunhão com Deus, principalmente através da oração individual e em família, o respeito para com o próximo, sobretudo aos mais velhos, o valor e o zelo pelo que é seu e jamais subtrair o que é do outro.

Foram tantos e tão importantes os seus ensinamentos que impregnaram nossa forma de ser e de agir! Parece que ainda ouço a voz serena do papai lendo passagens da Bíblia para nós, e depois os comentários dos  dois.A indagação que sempre me faço ao refletir sobre a vida dos meus pais é, - o que eu estarei deixando para os meus? Estou convicto de que se não tiverem na família uma referência positiva forte, poderão se sentir inseguros na construção de suas próprias vidas.

 Infelizmente o quadro atual não é muito favorável à instituição família. Há muitas dúvidas e incertezas diante do que tem sido proposto por pensadores, comunicadores, ídolos do momento, produções artísticas, ideologias e leis que violam valores humanos essenciais. Não favorecem a família, pelo contrário. Mas aqueles que encontrarem um referencial seguro, seja na escola, na igreja e principalmente em suas próprias famílias, saberão com toda certeza separar o joio do trigo.

Pense nisso!
                                                                                                           15 de agosto de 2018

*Cláudio Silva é mestre em Educação, ex- Secretário de Educação de Apucarana-PR e ex- presidente da União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação-UNDIME/PR. Diretor da Escola Nossa Senhora da Alegria.    (mais textos do professor poderão ser acessados no site www.profclaudiosilvaeducacional.com )

Ficha Técnica: Estrutura: Jornalista Cláudia Alenkire Gonçalves da Silva – MTE 000 9817 /PR Revisão:  Psicóloga Me Cláudia Yaísa Gonçalves da Silva - CRP 06/11120 e Bacharel em Direito Cláudia Layla Gonçalves da Silva

sexta-feira, 10 de agosto de 2018

PROF. CLÁUDIO SILVA NA PÓS EM DIREITO CIVIL E PROCESSUAL CIVIL DA UNIVEL

professor Me Cláudio Silva, concluiu no dia 11.08.2018 em CASCAVEL, PR os trabalhos na PÓS GRADUAÇÃO "LATO SENSU" EM DIREITO CIVIL E PROCESSUAL CIVIL - Turma 18
O evento foi uma realização da UNIVEL sob coordenação do Professor Lúcio Scheuer.

(clique nas imagens para -las em tamanho ampliado)








 























Link’s recomendados:


terça-feira, 7 de agosto de 2018

VIVER É UMA QUESTÃO DE SABEDORIA ! ( Crônica do Prof. Cláudio Silva)


VIVER É UMA QUESTÃO DE SABEDORIA!
                                   *Por Cláudio Silva
“Ensina-nos a contar os nossos dias para que o nosso coração alcance a sabedoria”   (Salmo 90,12)

Um semestre já se foi, e quando olhamos para o calendário, constatamos  que temos pouco mais de noventa dias para concluir o que projetamos para este ano. Esta é uma realidade a ter sempre presente, amigo leitor, o tempo irremediavelmente passa para todos nós.

Recentemente um grupo de amigos, com os quais estudei por alguns anos no seminário, se reencontrou depois de quarenta anos. Quantas lembranças, de um importante período fundamental da nossa existência, que serviu para forjar a estrutura pessoal para os futuros embates da vida! Em cada companheiro, calorosamente abraçado, as marcas da passagem do tempo estavam bem gravadas, e podiam ser percebidas em todos nós no físico, sobretudo na face. Mas também é visível que em cada um ainda palpita aquela chama de um coração puro de garoto, que há quarenta anos tinha muitos sonhos. Vários já foram conquistados, outros permanecem latentes como metas,  e isso é importante, porque mantém o fascínio de seguir em frente. 

O desafio permanente da vida é o de transformar sonhos em projetos concretos, com objetivos claros, metas a ser atingidas mediante estratégias bem definidas e prazos estipulados. E trabalhar dedicadamente a cada dia por eles. Neste sentido é oportuna a máxima de Santo Inácio de Loyola: “Aja como se tudo dependesse de você, sabendo bem que, na realidade, tudo depende de Deus.” A consciência de que cada novo dia é um presente divino que deverá ser vivido da melhor forma possível. Os frutos ficarão como um legado da nossa passagem por aqui.

Uma das lições abstraídas do reencontro com os meus amigos, é que na vida devemos, e podemos, focar o essencial, porque tudo o mais passa, e muito rapidamente.

Pense nisso!
                                                                                                                              07 de agosto de 2018

*Cláudio Silva é mestre em Educação, ex- Secretário de Educação de Apucarana-PR e ex- presidente da União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação-UNDIME/PR. Diretor da Escola Nossa Senhora da Alegria.    (mais textos do professor poderão ser acessados no site www.profclaudiosilvaeducacional.com  )

Ficha Técnica: Estrutura: Jornalista Cláudia Alenkire Gonçalves da Silva – MTE 000 9817 /PR Revisão:  Psicóloga Me Cláudia Yaísa Gonçalves da Silva - CRP 06/11120 e Bacharel em Direito Cláudia Layla Gonçalves da Silva


terça-feira, 3 de julho de 2018

PROF. CLÁUDIO SILVA NO MBA EM GESTÃO TRIBUTÁRIA DA UNIVEL

professor Me Cláudio Silva, concluiu no dia 30.06.2018 em CASCAVEL, PR os trabalhos no MBA EM GESTÃO TRIBUTÁRIA - Turma 09
O evento foi uma realização da UNIVEL sob coordenação do Professor Lúcio Scheuer.

(clique nas imagens para -las em tamanho ampliado)





























Link’s recomendados: